;

O que é token? Veja tudo o que você precisa saber!

O que é token? Veja tudo o que você precisa saber!

Diante de tantas mudanças tecnológicas, você já se perguntou o que é token? Com o volume crescente de operações comerciais e financeiras pela internet aumentam também os riscos de invasões e fraudes digitais.

Para minimizar esses riscos, surgiram os tokens —dispositivos adicionais de segurança que viraram essenciais para o setor financeiro. Mas afinal, o que é token e como ele funciona? Confira neste artigo.

O que é token?

Em linhas gerais, o token é um dispositivo gerador de senhas, usado para garantir a segurança e evitar fraudes em transações pessoais, como operações bancárias via internet banking ou pors aplicativos do banco.

Por ser um dos sistemas mais modernos contra e roubo de senhas e acesso às contas bancárias por terceiros, a maioria das instituições financeiras já utiliza o mecanismo em diversos formatos e às vezes até mais de um deles. Há tokens físicos e digitais, mas falaremos de cada um deles mais adiante.

Agora que você entendeu melhor o que é token, ê sabe como funcionam, na prática, esses dispositivos? Descubra.

Como funciona o token?

A lógica e o funcionamento por trás do token é mais simples do que você imagina. O grande segredo da eficácia desse sistema é que ele gera senhas temporárias, ou seja, elas são apagadas em alguns segundos. Portanto, é impossível usá-las mais de uma vez.

O nome dessa tecnologia é OTP, sigla para o termo em inglês “one-time-password”, que significa senha de uso único. Esse recurso é eficaz porque sempre que você precisa validar uma transação na sua conta bancária, por exemplo, o token irá gerar uma senha aleatória diferente.

Existem milhares de combinações que podem ser geradas, e a senha é sempre diferente da que você já utiliza para acessar a conta ou para utilizar o cartão.

Portanto, se antes o invasor precisava conhecer apenas uma ou duas senhas fixas para invadir uma  conta, agora ele  precisa passar por uma validação a mais: uma senha aleatória, descartável, que expira em segundos e à qual ele não têm fácil acesso.

Tipos de token

Os tokens podem aparecer em dois formatos:

  • Token físico
  • Token digital

O token físico foi um dos primeiros dispositivos de segurança oferecidos pelas instituições financeiras aos clientes.

Ele surgiu como um cartão plástico com várias combinações numéricas, que depois evoluiu para um pequeno dispositivo eletrônico, de uso pessoal e vinculado ao usuário e senha, — parecido com um pen drive.

Ao ser pressionado por alguns segundos, o aparelho gera uma combinação de números que você deve informar no campo indicado pelo aplicativo do banco para finalizar a transação desejada. Portanto, o token é a última barreira de validação da operação.

O token digital funciona da mesma forma, porém já está integrado ao internet banking ou ao aplicativo do banco, dispensando o dispositivo físico. Normalmente, o sistema gera uma imagem na tela que deve ser lida pelo celular, como um QR Code, ou envia uma mensagem com o código que deve ser informado na transação.

Nos aplicativos e celulares mais modernos, o token gera a validação por meio da leitura biométrica, ou seja, da impressão digital do usuário.

Como solicitar e ativar o token?

Caso seu banco utilize o token físico como mecanismo de segurança, é comum que você o receba na abertura da conta corrente. Também é possível solicitá-lo ao gerente e aguardar o envio do dispositivo em seu endereço.

Tanto o token físico quanto o digital precisam de uma ativação. O mais provável é que você tenha que ativar seu token por meio dos terminais de autoatendimento ou pelo site ou aplicativo do banco. As instruções costumam aparecer na tela como um passo a passo, simplificando o processo.

Esse procedimento pode variar de instituição para instituição, por isso é importante conferir as instruções com o próprio banco, por meio do internet banking e  do aplicativo ou pedir orientação para o seu gerente.

Token é seguro?

O token é uma inovação que garantiu o avanço seguro das operações financeiras online, trazendo comodidade aos usuários e reduzindo o número de fraudes.

Por usar métodos de criptografia avançados, o token é bastante seguro e hoje seu uso é indispensável em qualquer transação digital.

Desconfie, por exemplo, caso o site do banco solicite mais de um código verificador para a mesma operação — você pode estar acessando um site falso. Também não entregue seu token a terceiros, nem informe códigos por mensagem ou e-mail.

Dessa forma, a segurança do token está garantida. O uso, porém, não dispensa as demais medidas de segurança que você já conhece há tempos: não crie senhas muito simples ou óbvias, como datas de nascimento ou comemorativas; não anote, compartilhe ou use a mesma senha para todas as suas contas.

E não abra mão do uso de antivírus, tanto no computador quanto no celular, principalmente para acessar e fazer qualquer tipo de operação financeira pela internet. Gostou do artigo? Continue no nosso blog e conheça dicas de cartões de crédito com vantagens e descontos em compras, supermercados e milhas. Compare e peça o seu aqui mesmo!