;

Score de crédito: 7 maneiras de aumentar

Score de crédito: 7 maneiras de aumentar

A ideia por trás do score de crédito é muito simples: estimar, com um índice, quais são as chances de uma pessoa cumprir todos os seus compromissos financeiros nos próximos 12 meses. Mas por que você precisa se preocupar com esse número?

Entenda rapidamente como funciona e veja 7 maneiras de aumentar o seu score de crédito.

Como funciona o score de crédito

Na prática, o score de crédito é um número que pode ser consultado pela própria pessoa ou por algumas instituições financeiras, lojistas e bancos, que o utilizam para decidir se vão dar crédito para o cliente. 

Ele é calculado a partir dos hábitos financeiros do consumidor que ficam registrados em bancos de dados. São analisados registros de instituições como o SPC e o Serasa.

Entram na conta também informações como idade, dados de contato e estado civil. A fórmula exata do cálculo não está disponível para o público. 

É realizado um cálculo estatístico, em que o peso de cada item é atribuído de acordo com um estudo do comportamento de um grupo de indivíduos não identificados. 

A partir desse estudo, é possível inferir como um determinado hábito influencia a chance de que um consumidor pague seus compromissos financeiros em dia. 

Existem diferentes instituições, chamadas birôs de crédito, que calculam o score de crédito e cada uma tem uma metodologia para chegar ao número final. Apesar disso, os índices de pontuação que elas usam tendem a ser parecidos. 

O que significam as pontuações?

A pontuação pode ir de 0 até 1000 e, quanto maior o índice, melhor – pois maior a chance de o consumidor pagar as suas contas.

Para ajudar na interpretação, ela é dividida em três faixas de risco:

  • Até 300 pontos: alto risco de inadimplência
  • Entre 301 e 700 pontos: risco médio
  • Acima de 700: risco baixo 

Como saber a sua pontuação?

Existem diferentes sites em que é possível consultar o seu score de crédito. Os mais conhecidos e utilizados são o Serasa Score e o Boa Vista SCPC. 

Para que você consiga fazer a consulta, é necessário realizar um cadastro. A partir dos seus dados pessoais, eles fazem uma análise de informações como pagamento de contas, estado de dívidas, frequência de busca por crédito no mercado e dados cadastrais. 

Por que é bom aumentar o score de crédito?

Aumentar o score de crédito é uma boa ideia pois, quanto maior esse número, maior a facilidade para o consumidor conseguir crédito no mercado. 

Diversas empresas usam esse número como um dos fatores para decidir se fornecem um empréstimo ou realizam uma venda no crediário, e quais serão as condições de pagamento e taxas.

Alguns exemplos são lojas varejistas, empresas de telefonia, de TV a cabo e outros serviços de comunicação, setor bancário e financeiro e prestadores de serviços em geral. Essas empresas assinam os birôs de crédito e podem consultar o índice de qualquer consumidor. 

Se o seu score de crédito estiver baixo, não se preocupe. Vamos explicar a seguir 7 maneiras de aumentá-lo. Lembre-se que o resultado não é imediato, uma vez que é avaliado todo o histórico de hábitos do consumidor. 

1. Tenha o Cadastro Positivo

Ative o seu Cadastro Positivo em instituições financeiras como o Serasa ou o seu banco. Ele é como um currículo financeiro que tem informações sobre as contas pagas – antes dele existir, os dados utilizados pelas instituições financeiras eram os de inadimplência sobre contas atrasadas. 

Pode demorar cerca de sete dias para que dados sobre financiamentos, cartões de crédito, empréstimos em bancos ou comércio e outras contas comecem a constar no seu cadastro e a contar para aumentar o seu score ao longo do tempo.

Vale destacar, a adesão ao Cadastro Positivo é totalmente gratuita. 

2. Tenha seus dados atualizados

É importante ter seus dados atualizados, como nome (de solteiro ou casado), endereço, telefone, entre outros. Inconsistências nas informações podem ser um parâmetro que abaixa o score de crédito ou diminui a credibilidade do cliente.

Por isso, mantenha os dados sempre atualizados nas diferentes instituições com as quais você tem um relacionamento financeiro, como bancos e lojas, assim como nos sites dos birôs de crédito. 

3. Pague suas contas em dia

O pagamento das contas em dia vai constar no seu Cadastro Positivo e, além disso, evita que existam inadimplências associadas ao seu CPF. 

Nesse quesito, o que conta no score de crédito no médio e longo prazo é a frequência com que as contas são pagas em dia. Por isso, se organize para efetuar os pagamentos.

Pode valer a pena alterar a data de vencimento das contas para que elas ocorram após a data em que você costuma receber uma remuneração. 

4. Tenha um histórico de dívidas negativadas

Como o histórico de hábitos financeiros é importante, se for inevitável contrair dívidas, pague-as sempre em dia ou antecipadamente. 

Se não for possível, negocie para quitar as dívidas atrasadas o mais rápido possível. Ter o nome limpo no mercado deve ser prioridade. 

Depois que as dívidas forem quitadas, as empresas precisam retirar o nome do cliente do cadastro negativo em até cinco dias úteis. 

5. Cultive um bom relacionamento financeiro com empresas

A sua movimentação em conta corrente, poupança e investimentos entram na sua pontuação. Por isso, é importante ter um bom relacionamento com instituições financeiras.

O mesmo vale para outros tipos de empresas que forneçam serviços financeiros, como crediário. 

Se você tiver investimentos e uma reserva financeira, seu score pode aumentar, pois é um indício de organização com as contas.

6. Comprove sua renda

Comprovar renda nos bancos ou outras instituições é um indicador de que você terá fundos para arcar com as suas contas. 

Dessa forma, se você tiver contratos de trabalho ou holerites que possam comprovar sua renda, forneça esses documentos sempre que possível. 

7. Use crédito de maneira consistente

Tenha o hábito de se planejar financeiramente. Assim, se você precisar de crédito, por exemplo, poderá ter tempo para pesquisar no mercado e escolher a melhor opção, diminuindo a chance de contrair dívidas.

Use o cartão de crédito, mas cuidado para não comprometer todo o limite com parcelas. Seja consistente no uso e no pagamento, e evite fazer o pagamento mínimo da fatura. Isso vai gerar dívidas e contar negativamente para o seu score de crédito.

Bônus: Dicas para os tempos de pandemia da covid-19

Em tempos de pandemia em razão da covid-19 e isolamento social, muitas pessoas estão perdendo sua fonte de renda ou sofrendo com reduções nos rendimentos. 

A inadimplência é a principal causa de quedas no score de crédito. Para evitar que isso cause um impacto muito grande nesse momento, o ideal é negociar para conseguir mais prazo para o pagamento de contas. Muitas instituições estão estendendo prazos e isso pode ajudar.

Outra solução é buscar formas de crédito mais baratas no mercado. Isso pode ser feito para pagar dívidas com juros altos e o ideal é que ocorra antes que as contas fiquem atrasadas. 

Por fim, a melhor alternativa é aproveitar esse período para conseguir novas fontes de renda, exercendo atividades que sejam úteis no cenário de pandemia. 

Continue navegando

E agora que você já sabe como manter e aumentar o seu score de crédito, navegue pelo site Cartões.com.br para comparar diferentes cartões e descobrir qual é o melhor para você.