;

Aprenda a calcular juros de cartão de crédito e organize sua vida financeira

Aprenda a calcular juros de cartão de crédito e organize sua vida financeira

Muitas pessoas não sabem calcular os juros de cartão de crédito e entram em uma  verdadeira bola de neve de dívidas bancárias — cenário quel ninguém deseja vivenciar r.  Por isso, oferecemos neste artigo  um passo a passo para você fazer seu próprio cálculo.

Você irá perceber, inclusive, que calcular esses juros é muito mais fácil do que parece.

Continue a leitura para saber mais.

Os números relacionados a um cartão de crédito

O cartão de crédito é amado por muitas pessoas, seja  para compras do dia a dia ou para  emergências.

O problema, porém, está no fato de que muitos solicitam ou aceitam um cartão sem se atentarem aos números que dizem respeito a ele e que podem causar problemas financeiros até mesmo a curto prazo.

Alguns exemplos desses números são:

  • Valor da anuidade;
  • Taxa para saques dentro ou fora do país e pagamento de contas;
  • Crédito emergencial, quando o limite é ultrapassado.

Os juros também fazem parte dessa lista e ganham ainda mais evidência quando o cliente não paga o   valor total da fatura e entra no crédito rotativo.

Entender como os juros funcionam, contudo, é mais fácil do que lidar com eles na prática. No tópico abaixo, você vai aprender a calcular esse percentual e verá que não se trata de uma matemática complicada

Aprenda a calcular os juros do cartão de crédito

Como dissemos acima, quando o consumidor não paga o valor integral da fatura do cartão de crédito, tem de pagar juros do rotativo.  E como recorrer a crédito não costuma ser uma boa opção, esses juros se tornaram um verdadeiro pesadelo para os brasileiros. 

Mas será que você realmente  precisa se preocupar com essa cobrança?Depende. As taxas variam de acordo com a administradora do cartão, podendo chegar a 20% ao mês, segundo o Banco Central.

O cálculo que você precisará fazer, de qualquer forma, será sempre o mesmo.

Eis o passo a passo:

VERIFIQUE O VALOR MÍNIMO DA FATURA

A quantia é informada no próprio documento e indica qual valor será prorrogado para a próxima fatura.

Vamos usar como exemplo uma fatura de R$500, cujo valor mínimo permitido pela administradora e pago por você foi de R$100. 

Logo, ficaram R$400 no rotativo.

DESCUBRA QUAL A TAXA DE JUROS TRABALHADA

A boa notícia para quem quer aprender a calcular os juros do cartão de crédito é que a taxa também vem informada na própria fatura, o que deixa o processo mais ágil.

Caso você não a encontre, pode ligar para a administradora ou checar a lista do Banco Central que informamos acima.

De qualquer forma, para o nosso exemplo, vamos considerar que a taxa é de 15%.

FAÇA AS CONTAS

Finalmente, com as informações que precisa em mãos, faça uma multiplicação simples: saldo do rotativo X  taxa de juros, o que para esse exemplo será 400x15=60.

Simples, não é mesmo?

Note, porém, que ao pagar R$ 60 de juros somados ao saldo do rotativo, o valor total será quase o mesmo que a fatura inicial, de R$ 500. E esse é justamente o motivo de muitas pessoas ficarem no vermelho: elas simplesmente entram numa bola de neve da qual não conseguem sair.

Além disso, lembre-se que será cobrada também a fatura do mês corrente  e o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) — deixando a dívida ainda maior.

Um ponto positivo, para muitos, é que a resolução 4.549 do Banco Central determina o parcelamento do saldo restante do rotativo, caso o mesmo não seja pago dentro de 30 dias.

Mas essa determinação também envolve juros.

Cuidados essenciais para evitar o pagamento de juros

Mesmo sabendo como calcular os juros de cartão de crédito, temos certeza de que você prefere não ter que lidar com eles.

E esse pensamento está correto: afinal, os juros no Brasil são extremamente altos, apesar de estarem caindo.

O que resta, então, é evitar o crédito rotativo. E  isso é mais simples do que parece.

Uma boa maneira de começar é fazendo um controle criterioso de  gastos.

Nada impede que você tenha um cartão de crédito, mas será que ele precisa mesmo ser usado o tempo todo? O que pode ser pago no débito ou em dinheiro? E será que você realmente precisa de tudo que compra no cartão ?

Outra boa maneira de evitar os juros, além de não gastar em excesso, é escolher um cartão que esteja de acordo com a sua realidade e não tenha um limite que comprometa sua renda.

Aliás: nada de pedir aumento de limite se você não sabe se conseguirá arcar com a fatura, ok?

Em resumo, para evitar cair no rotativo e seus temidos juros, é importante nunca gastar mais do que recebe, e lembrar que seu salário também é destinado a outras coisas e, portanto, não pode ser utilizado apenas para pagamento de dívidas.

 E ao escolher o cartão certo para o seu perfil de consumidor, você também economiza em compras e obtém diversos benefícios, otimizando ainda mais sua organização financeira.

Que tal ver alguns exemplos agora mesmo?Clique aqui para conhecer os  cartões mais indicados para seu perfil. Certamente algum vai atender suas necessidades.